moça olhando bolo

Por que o açúcar faz tão mal à saúde?

A gente sabe que açúcar é uma delícia, mas seu consumo está ligado ao aumento do risco de várias doenças.

É um desafio resistir a bolos, biscoitos, chocolates e refrigerantes - a gente sabe. A questão é que eles são cheios de açúcares e, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), nós devemos ingerir no máximo 50g de açúcar por dia.

O brasileiro, porém, não segue essa recomendação: nossa média de ingestão diária é de 80g - o que equivale a 18 colheres de açúcar em um único dia!

Só pra você ter uma ideia, um refrigerante com 350ml possui cerca de 38g e um bombom comum recheado, cerca de 12g. Sendo assim, se você comer 3 bombons de uma vez, já ultrapassou o limite saudável.

Sendo assim, prefira o consumo de açúcar mascavo ou mel, pois contém mais vitaminas e minerais que o produto refinado - sendo menos prejudicial à saúde.

Quais os malefícios do consumo de açúcar?

açúcar

 

  • Cáries nos dentes;
  • Obesidade;
  • Diabetes;
  • Colesterol alto;
  • Gordura no fígado;
  • Câncer;
  • Gastrite;
  • Pressão alta;
  • Gota;
  • Prisão de ventre;
  • Diminuição da memória;
  • Miopia;
  • Trombose;
  • Acne e envelhecimento precoce da pele.

O açúcar não possui valor nutricional, pois ele não contém vitaminas e minerais - que são nutrientes essenciais para o bom funcionamento do corpo.

Essas calorias vazias, só servem para agradar nosso paladar e condicionar nosso cérebro a se viciar nelas.

Por que o açúcar vicia o cérebro?

cérebro

 

O açúcar estimula a produção de um hormônio chamado dopamina - que causa uma sensação de felicidade, prazer e bem-estar; fazendo com o que o corpo fique viciado nesse tipo de alimentação.

Além do vício, o excesso de açúcar também dificulta a memória e atrapalha no processo de aprendizagem, o que gera queda nos rendimentos do trabalho e estudos.

Alimentos ricos em açúcar

comidas com açúcar

 

Além do açúcar branco em si, muitos alimentos possuem esse componente em suas receitas, o que também acarreta malefícios à saúde. Alguns exemplos são:

Sobremesas: bolos, pudins, tortas, pães.

Bebidas: sucos, refrigerantes, chás, smoothies.

Produtos industrializados: chocolates, Nutella, ovomaltine, biscoitos doces, ketchup, leite condensado, coberturas e molhos doces.

É sempre importante verificar o rótulo do produto antes de comprar para entender se ele possui açúcar e em qual quantidade. Vale lembrar que alguns corantes também fazem também mal à saúde quanto o açúcar em si.

Como adoçar sem açúcar

adoçantes

 

Para adoçar sucos, cafés, iogurtes ou chás; ou mesmo fazer receitas doces, deve-se preferir o uso de adoçantes culinários ao açúcar. Os melhores adoçantes são os naturais, como stevia, xilitol, eritritol e taumatina - que podem ser usados em variadas receitas ou preparações.

Os adoçantes artificiais, como aspartame, ciclamato de sódio, sacarina e sucralose, são feitos a partir de substâncias químicas, sendo desaconselhados especialmente para crianças e mulheres em período gestacional.  Além disso, o ideal é que bebidas como sucos, cafés e chás sejam tomadas sem adição de açúcar nem de adoçantes, e o iogurte natural, por sua vez, pode ser levemente adoçado com um pouco de mel ou com uma fruta.

Adaptando o paladar: dê adeus de vez ao açúcar!

Três semanas: esse é mais ou menos o tempo que o paladar demora para se adaptar com o sabor “menos doce”. Este período compreende a renovação das papilas gustativas na língua, que acabam se acostumando aos novos sabores.

Para deixar essa mudança mais fácil e otimizar a aceitação do paladar, é aconselhável retirar o açúcar aos poucos, reduzindo a quantidade usada no preparo dos alimentos até zerar por completo. O mesmo deve ser feito com os adoçantes - reduzindo a quantidade de gotas utilizadas. Paralelo a isso, você pode aumentar o consumo de alimentos que tenham sabor amargo ou azedo, como frutas cítricas ou verduras cruas.

Conheça os males que o açúcar faz para os órgãos do seu corpo

malefícios açúcar

 

Além do seu cérebro - que já foi mencionado aqui no texto - o açúcar também atinge outras regiões quando consumido em excesso.

Pâncreas

O pâncreas capta a glicose pelas células. Quanto maior a taxa de açúcar no sangue, mais ele libera insulina. No entanto, há um limite para a liberação desta substância, e, quando atingido, a glicose não será utilizada pelas células, mas sim armazenada nos músculos e no fígado como um depósito energético, e nas células de gordura.

Quando comemos açúcar demais, a insulina produzida pelo nosso corpo deixa de ser suficiente, o que dá ao pâncreas uma sobrecarga de trabalho - fazendo com que este entre falência e produza pouca insulina. Isso pode culminar numa diabetes.

Rins

De imediato, pode haver uma leve sobrecarga na tentativa de excretar tanto açúcar. A longo prazo, os rins - que continuam trabalhando demasiadamente - podem sofrer uma espécie de “colapso”, devido ao aumento da pressão dentro das unidades de filtração (glomérulos). O que resulta disso é uma perda de proteínas via urina (proteinúria), podendo então evoluir para a perda do rim. Quando chegamos a este caso extremo, é necessária uma terapia para substituir a função do órgão.

Fígado

Quando ingerimos muito açúcar, o pâncreas libera bastante insulina e, esse excesso de açúcar acaba sendo estocado no fígado no formato de gordura - o que pode gerar uma doença chamada esteatose hepática. Em longo prazo, a esteatose hepática pode evoluir para esteato-hepatite (inflamação do fígado por causa da presença de gordura) e depois para fibrose do fígado, desencadeando a cirrose.

Intestino

O excesso do açúcar gera desequilíbrio da flora intestinal, podendo causar diarréia, dor no abdome, acúmulo de gases, mau hálito e até falta de vitaminas. 

Pele

acne

 

A ingestão excessiva aumenta a oleosidade da pele, o que causa a acne. Ela pode vir em graus diferentes, desde os mais amenos aos descontrolados - que precisam de um tratamento mais específico.

A oleosidade também contribui para o aumento da dermatite seborreica e descamação da face, bem como da sudorese.

Coração

O excesso de açúcar pode mobilizar as reservas de gorduras presentes no nosso corpo, o que culminaria na formação de placas nas artérias coronárias.

Somado a isso, o consumo exagerado também contribui para o aumento dos radicais livres - substâncias tóxicas altamente instáveis que geram estresse oxidativo e prejudicam várias funções do organismo. 

O açúcar provoca uma lesão no endotélio - a camada superficial que envolve e protege o coração de agentes tóxicos. Tanto a lesão quanto a formação das placas podem resultar em uma redução no calibre das veias (vasoconstrição), o que acarreta vários problemas ao órgão.

 

 

 

E se você não consegue resistir a um docinho, saiba que existem alguns suplementos naturais que podem te ajudar na inibição do apetite e da vontade por açúcar. O Slim Simple é um deles: feito a base de picolinato de cromo, o Slim Simple, além de regular o desejo por doces, também auxilia a manter o trânsito intestinal, diminui o colesterol ruim e os triglicerídeos. 






Fontes:




Viva Bem


Tua Saúde

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.