homem estudando

Como acelerar o processo de aprendizagem?

Complexo e constante, o processo de aprendizagem é pautado no desenvolvimento cognitivo e outros pilares. Aprenda mais sobre eles aqui!

A aprendizagem acontece ao longo da vida - desde o nascimento. Ela envolve a aquisição de conhecimentos, habilidades e valores. 

Enquanto uma criança cresce, ela adquire conhecimentos emocionais, orgânicos, psicossociais, culturais e cognitivos. Estes últimos são um dos pilares principais na assimilação de novas informações. 

Desenvolver o lado cognitivo, significa otimizar a memória, atenção, foco, raciocínio, linguagem, imaginação, pensamento simbólico, percepção, associação e outros.

Existem vários pensadores que estudaram essas habilidades a fundo, mas aqui, podemos citar dois dos principais: Jean Piaget e Lev Semenovich Vygotsky. A seguir, falaremos um pouco sobre sua obra.

As teorias de aprendizagem segundo Piaget e Vygotsky

Professora e alunos

 

Piaget

Jean Piaget (1896 – 1980) foi um psicólogo e biólogo suíço que estudou a fundo a área educacional, com ênfase na aprendizagem. Segundo suas pesquisas, a absorção do conhecimento acontece conforme o cenário em que se está inserido, sendo pautada nessa troca: “ambiente x indivíduo. 

Jean estabeleceu que o conhecimento infantil possui 4 fases que começam logo após o nascimento da criança e vão até a adolescência. 

Essas fases explicam o desenvolvimento do indivíduo e a aquisição do conhecimento mediante o passar do tempo e ganho de experiências: análise crítica, percepção, noção de regras e valores, julgamentos entre certo e errado e etc..

Vygotsky

Lev Semenovich Vygotsky (1836-1934) foi um pensador e filósofo russo que se dedicou ao estudo do processo de aprendizagem.

Assim como Piaget, ele também considera que o desenvolvimento cognitivo se dá por meio da interação com o ambiente e outros indivíduos, visto que a troca de conhecimentos gera novas experiências que podem resultar em aprendizagem.

Para Vygotsky a aprendizagem é mediada por signos e instrumentos sociais, (como a fala e a escrita, por exemplo), e acontece dentro do que ele chama “ZPD”, ou Zona de Desenvolvimento Pessoal. 

A ZPD é a distância entre o que o indivíduo já sabe e o que ele possui capacidade de aprender. A teoria de aprendizagem de Vygotsky destaca a necessidade de possibilitar a criação de ambientes de participação, de atividades colaborativas e troca de ideias, e com constantes desafios.

O surgimento da Programação Neurolinguística e o desenvolvimento da aprendizagem pelo autoconhecimento

quebra-cabeças mente

 

 A Programação Neurolinguística (PNL)  surgiu na década de 70 por meio do trabalho de dois pesquisadores: o estudante de Sistemas e Matemática, Richard Bandler (EUA, 1950)  e o estudante de Psicologia e Linguística, John Grinder (EUA, 1940).

A PNL é uma estratégia de comunicação que age como uma ferramenta para o processo de aprendizagem via autoconhecimento. Ela avalia os comportamentos humanos e tenta compreender o funcionamento cerebral frente a ações do cotidiano. Feito isso, podemos dizer que a PNL dividiu o processo de aprendizagem em 4 etapas:

1 - Incompetência inconsciente

A pessoa não tem conhecimento daquilo que não sabe e se mostra satisfeita dessa forma. Um exemplo é a criança recém-nascida que não entende a importância de andar. Quando e la cresce e percebe que precisará dessa habilidade para o resto da vida, ela adentra a segunda etapa do processo.

2 - Incompetência consciente

Aqui o indivíduo passa a entender que não possui algumas habilidades e conhecimentos de forma consciente. Nesta etapa, florescem a curiosidade e a vontade de aprender. Ainda no exemplo da criança, aqui ela percebe que alguns ao seu redor conseguem caminhar e estimula-se a fazer o mesmo.

3 - Competência consciente

Aqui desenvolve-se mais autoconfiança no indivíduo, pois ele começa a ter ciência de que suas capacitações o ajudarão a conquistar novas habilidades.

Aqui a criança entende que sabe a andar, só precisa direcionar sua concentração na tarefa para que se torne algo automático. E é aí que entra o quarto passo desta jornada.

4 - Competência inconsciente

Essa é a etapa final do processo de aprendizagem. Ela se refere ao fato de o  indivíduo dominar uma nova habilidade de maneira natural - por meio da prática, repetição e superação de dificuldades.

A criança que antes mal sabia andar, hoje já corre e pula naturalmente, sem ter que mover grandes esforços para que isso aconteça.

Teóricos da aprendizagem brasileiros e a importância de seus estudos

crianças aula

 

Em um cenário mais nacional e recente, também podemos citar o trabalho de Victor Hugo Ferreira Júnior, professor, palestrante e consultor de empresas. Sua teoria a respeito do processo de aprendizagem compreende 5 etapas.

1 - Compreensão

O indivíduo é inicialmente exposto ao conhecimento e as explicações que o envolvem. Compreender é apenas o primeiro passo, tendo em vista sua insuficiência para reter este conhecimento e replicá-lo.

2 - Reter

Quando o que foi aprendido fica “fixado” na memória do indivíduo, temos a retenção daquele conhecimento. É aqui que esta ação pode ser tornar algo valioso para o futuro. Apesar de muitas pessoas já garantirem que a retenção do conhecimento caracteriza o aprendizado, Victor Hugo afirma que de nada vale um conhecimento adquirido e não aplicado. 

3 - Prática

Colocar em prática aquilo que se aprendeu e conseguir de fato reter o conhecimento em sua memória é a terceira parte do processo. Pode parecer fácil, mas muitas vezes isso implica em uma mudança de hábitos para que o conhecimento se torne de fato algo valioso e traga resultados.

4 - Disseminar

Depois de compreender, reter e praticar um conteúdo, é hora de disseminar o conhecimento adquirido.

Além de ensinar aos outros, esta também é uma maneira de fixar ainda mais o que se aprendeu.

5 - Criar

Por fim, no topo da “cadeia do aprendizado”, estão os indivíduos que começam a gerar novos conhecimentos a partir daquilo que aprenderam.


Existem alguns fatores que podem interferir nesse processo de aprendizagem, tornando-o mais ou menos complexo e longo.

Fatores que influenciam no processo de aprendizagem

Confira alguns fatores que podem alterar e influenciar no processo de aprendizagem.

1 - Motivação

motivação

 

Estimular o aprendizado é muito importante para determinar a constância. Um aluno mais motivado, garante mais empenho e menos desistência.

2 - Conhecimentos prévios

cérebro

 

Se o indivíduo já tem uma certa familiaridade com o que está aprendendo no momento, aquilo torna-se mais fácil de ser retido e replicado.

3 - Quantidade de informação

muitas tarefas

 

Sobrecarregar os alunos com muita informação traz pouco ou nenhum resultado.

4 - Diversidade no ensino

jovens juntos

 

Variar a metodologia pode auxiliar alguns alunos a aprender de forma mais rápida e eficiente.

5 - Formação e metodologia do docente

professores

 

Quando mais conhecimento o professor tiver (tanto na parte técnica quanto didática), maior o seu poder de instigar e transmitir conhecimento à turma.

6 - Contexto familiar e social

família

 

A bagagem cultural transmitida pela família e pelo contexto onde a criança foi/está inserida podem facilitar ou dificultar a aprendizagem.

7 - Alimentação

alimentação

 

Uma alimentação precária pode comprometer a performance cerebral. Invista em uma dieta balanceada, com alimentos que melhorem a memória e o lado cognitivo.

8 - Trabalho em equipe

trabalho em equipe

 

Quando os alunos têm a possibilidade de interagirem entre si, o processo de aprendizagem tende a ser bem melhor sucedido.

De que formas podemos potencializar o processo de aprendizagem?

tecnologia

 

Existem algumas formas dos educadores ajudarem a acelerar o processo de aprendizagem dos seus alunos. 

  • Relacionar a matéria com a vida real: isso cria conexões “de verdade” e facilita a assimilação do conteúdo.
  • Sempre que possível, resumir os assuntos em tópicos.
  • Apresentar as atividades como se fossem grandes desafios a serem conquistados.
  • Incluir tecnologia no cotidiano.
  • Propor aulas diferenciadas - fora do ambiente cotidiano.
  • Aumentar ao máximo o dinamismo das aulas,
  • Acompanhar o desempenho  individual de cada aluno.

Existem alguns suplementos naturais, como o Sharp Brain, que auxiliam na melhora das funções cognitivas como a memória, concentração e desempenho neuronal. Feito a base de extrato aquoso de hortelã rico em mais de 50 tipos de polifenóis, o Sharp Brain reúne os principais ativos que atuam diretamente na melhora da performance, foco, retenção de lembranças e aprendizagem.


Fonte:


SophiA

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.